Fernando Pessoa - poemas
www.mDaedalus.com
poemas
de
Pessoa
A
B
C
D
E
F
G
H
I
J
L
M
N
O
P
Q
R
S
T
U
V
Fernando Pessoa
Cancioneiro
Abdicação
Toma-me, ó noite eterna, nos teus braços
E chama-me teu filho. 
                   Eu sou um rei
que voluntariamente abandonei
O meu trono de sonhos e cansaços. 

Minha espada, pesada a braços lassos,
Em mão viris e calmas entreguei;
E meu cetro e coroa - eu os deixei
Na antecâmara, feitos em pedaços 

Minha cota de malha, tão inútil,
Minhas esporas de um tinir tão fútil,
Deixei-as pela fria escadaria. 

Despi a realeza, corpo e alma,
E regressei à noite antiga e calma
Como a paisagem ao morrer do dia. 


  • A abelha Ricardo Reis
  • A água chia no púcaro que elevo à boca, Alberto Caeiro
  • A água da chuva desce a ladeira, Poesias Inéditas
  • A aranha do meu destino, Poesias Inéditas
  • Abat-jour, Cancioneiro 
  • Google
     
    Web mdaedalus.com
    página de Pessoa
    página principal
    com o apoio de:
    www.travel-images.com
    Fernando Pessoa - poemas
    www.mDaedalus.com