Fernando Pessoa - poemas
www.mDaedalus.com
poemas
de
Pessoa
A
B
C
D
E
F
G
H
I
J
L
M
N
O
P
Q
R
S
T
U
V
 
Fernando Pessoa
Gomes Leal

 
Sangra, sinistro, a alguns o astro baço.
Seus três anéis irreversíveis são 
A desgraça, a tristeza, a solidão.
Oito luas fatais fitam no espaço.

Este,  poeta, Apolo em seu regaço
A Saturno entregou. A plúmbea mão
Lhe ergueu ao alto o aflito coração.
E, erguido , o apertou, sangrando lasso.

Inúteis oito luas da loucura
Quando a cintura tríplice denota
Solidão e desgraça e amargura !

Mas da noite sem fim um rastro brota,
Vestígios de maligna formosura :
É a lua além de Deus, álgida e ignota.

 

  • Gostara, realmente, Poesias Inéditas 
  • Gostava de gostar de gostar, Álvaro de Campos
  • Gozo os campos sem reparar para eles, Alberto Caeiro
  • Gozo sonhado é gozo, ainda que em sonho, Ricardo Reis
  • Gradual, desde que o calor, Poesias Inéditas 

  • Google
     
    Web mdaedalus.com
    página de Pessoa
    página principal
    com o apoio de:
    www.travel-images.com
    Fernando Pessoa - poemas
    www.mDaedalus.com